sábado, 31 de janeiro de 2015

Campo da Vila Municipal, recebe últimos retoques.

Pois é.

Os trabalhos continuam em fase de conclusão no campo, segundo a Construgramas, está em fase de acabamento, até a metade do mês de fevereiro acreditamos que estejam concluídos.

Daí em diante, ficará apenas na parte de tratamento e irrigação e os produtos que serão adicionados no gramado, como adubo, inseticida etc. 

A próxima etapa serão os alambrados atrás das duas metas, na parte que dá para a Rua São Luis, será telado com visão ampla do campo, os pais dos alunos terão seu cantinho apara assistir aos jogos e treinamentos bem protegidos.

O coordenador técnico Lana está muito animado com a estrutura que o Nacional está oferecendo, melhores condições aos garotos, com profissionais qualificados, formados em educação física, atendente, serviço de lanchonete, enfim, muitas melhorias para melhor conforto.
Miro.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Coletivo empatado.

Wagner espalma a bola.
Na tarde desta sexta, Sinomar contando com 3 jogadores das categorias de base, realizou o tão sonhado coletivo que há dias tentava e não acontecia devido as saídas de Evandro, Jon Jones e Jeff Silva. Resultado duro. Mesmo assim Sinomar conta com ele.

O treino de hoje também contou com a presença de Raí irmão do Railson, o jogador estava parado e seu desejo é recomeçar, ainda é jovem tem tempo ainda para o futebol profissional.

Lateral esquerdo e meia.

O Nacional tenta esses dois jogadores, é difícil, a essa altura a maioria dos jogadores está empregada e ninguém quer perder o emprego, a não ser que o clube ofereça uma grande quantia para fazer com que o adversário libere o jogador. 
Até mais...

Volante Felipe Manoel chega ao Naça.

O volante Felipe Manoel chegou e já assinou contrato com o Mais Querido, o jogador estava no Santa Cruz do Pará. Está com 25 anos.

O jogador foi uma indicação de Sinomar Naves e vem para juntar-se a Lído, Denis e Bruno Potiguar, segundo o jogador, vem para somar e ajudar o Nacional a conquistar as vitórias.

Teve passagens pelo Vila Real da Espanha e Real Madrid B, também da Espanha.

Já participou do coletivo de hoje a tarde e foi razoável, afinal chegou de viagem hoje e já treinou. Depois que adquiri um ritmo melhor, certamente irá subir de produção, esperamos que tenha sorte.
Até mais...   

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Naça faz treino tático e de posse de bola.

Hoje, novamente Sinomar realizou um treino tático e de posse de bola, como sempre muita movimentação e deslocamentos dos jogadores.

Na posse de bola, fizeram o que foi determinado, tocar bola a com rapidez, procuraram passar para o companheiro sem erros, isso no jogo é imprescindível, quanto mais acertarem nos passes, mais condições darão para o companheiro.

Na sexta-feira, provavelmente será realizado um coletivo, vamos ver a equipe titular que ele mandará a campo, de uma coisa temos certeza, todos os jogadores tem treinado com vontade e tentando acertar ao máximo nas conclusões de jogadas. O time precisa completar seu elenco para pelo menos 26 jogadores ou mesmo 28, afinal, serão quatro competições. 

Mesmo sem conseguir amistosos, ( os clubes daqui não quiseram) o jeito é treinar contra os reservas, fazer coletivos com mais frequência, só assim pegarão conjunto mais rapidamente. A busca por um lateral esquerdo e um meia atacante, continua, os contatos estão sendo feitos todos os dias, está difícil, mas, não impossível.
Até mais...

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Treino em campo reduzido.

Pra variar, Sinomar treinou o time em campo reduzido, repetindo o mesmo dos outros dias, sem tirar, nem por, ou seja movimentações rápidas, posicionamento.

Ao mesmo tempo que fazia a movimentação, vez por outra ele mudava e no próprio treinamento executava parte dos fundamentos com bolas alçadas na área com uma certa frequência, objetivo era o aproveitamento dos atacantes nos arremates a gol.
a defesa e os goleiros se desdobravam para conter as finalizações. 

Hyantony, Leonardo e Wanderley marcaram gols várias vezes, apesar do grande esforço dos goleiros para praticarem as defesas dos chutes desferidos pelo trio de atacantes. Enfim, todos foram muito bem e isso dá uma certa tranquilidade com relação ao desempenho deles nas competições, são grandes jogadores e saberão honrar a camisa do Naça.  
Miro.

Conheça a história de Leonardo, nosso artilheiro.

Leonardo, o Índio mais que guerreiro do Nacional
Bastidores
40Google +0
28.01.2015 - 15:27 - Amazonas
Ídolo, artilheiro e atual campeão amazonense pelo Nacional Futebol Clube, o atacante Leonardo, o “Índio Negro”, como é carinhosamente apelidado pela torcida, tem uma história de vida que surpreende pela capacidade de emocionar. Nascido na periferia da cidade do Rio de Janeiro, o jogador tem a vida e a carreira marcada por revezes que quase sempre fugiam ao seu controle, em que seu talento e perseverança foram testados muitas vezes pelo destino.

Aos 11 anos, começou jogando futsal no time de futebol de salão da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB). Mas mal começou a dar os primeiros passos no futebol, o jovem Leo, que cresceu longe do pai, teve de lidar com a morte da mãe.

Confrontado com a necessidade de trabalhar para ajudar as tias, com quem começou a morar, o garoto que mal completara 12 anos teve de começar a trabalhar. “Deu aquele baque, você não sabe como vai ser a vida a partir dali”, contou. “Comunidade carente, criança tem que ajudar em casa. Então comecei a trabalhar para ajudar na conta de luz, ajudar a comprar uma carne”, acrescenta Leonardo, que começou a trabalhar como boleiro (gandula de jogos de tênis) num clube carioca.

Leonardo entende bem as regras do jogo, tem como um dos ídolos esportivos Roger Federer e conta que até chegou a praticar o esporte, mas “achava difícil”. Facilidade ele tinha mesmo era para o futebol e seu retorno ao futebol seria inevitável. Aos 16, ele jogou a conhecida Taça das Favelas, no Rio de Janeiro, quando teve a oportunidade de jogar pela primeira vez no Maracanã.

“Era a abertura do Brasileiro de 1998, Vasco e Corinthians, quando o Marcelinho fez aquele gol histórico do meio da rua. Naquele dia, eu segurei a bandeira do ‘fair play’”, diz o jogador, recordando o primeiro encontro com o mítico palco do futebol brasileiro. Mais tarde, ele recordaria, em tom de brincadeira, o gol sofrido pelo goleiro Caetano, que foi seu companheiro no Bonsucesso Futebol Clube. “Eu brincava que o gol tinha sido de muito longe”, diverte-se.

Convidado por um amigo para jogar futsal no Vasco - conciliava os treinos com o trabalho -, a pequena ajuda de custo que o clube lhe pagava, ele guardava para contribuir com as tias em casa ou para fazer um lanche. “Eu usava camisa de colégio”, diz ele, revelando o método que usava para não pagar passagem no transporte coletivo, já que no Rio de Janeiro os estudantes têm direito a passe livre no ônibus.

Dois clubes e pouca grana

Ao mesmo tempo, surgia a oportunidade de treinar futebol de campo no time de base do Botafogo. “Saía cinco horas da manhã, ia treinar no Botafogo, voltava pra casa pra almoçar e já tinha que ir para o Vasco”, relembra. Mas, mesmo com o apoio das tias, não tinha retorno financeiro e teve que largar o futsal mais uma vez. “No Vasco, voltei a ser artilheiro, ganhei títulos. Eu estava crescendo como atleta, mas não podia ajudar minha família. Foi difícil”, disse ele.

Mas se as dificuldades extra-campo impediam a evolução de Leonardo, com a bola nos pés ele mostrava o quanto era bom. Convidado para jogar um amistoso contra o time do Bom Sucesso, fez um gol antológico e foi cobiçado pelo time derrotado.

“Peguei a bola atrás do meio campo, driblei três, quatro numa arrancada e meti um golaço”, disse ele, que passou a integrar o time da periferia fluminense, recém lançado à terceira divisão do Carioca. O começo foi animador. “Subimos o time de divisão no Estadual”, lembra ele, orgulhoso, contando que passou a sonhar grande depois disso. “Comecei a vislumbrar uma carreira profissional, pensar em Flamengo, Europa...”.

Sonho europeu

E aconteceu! Craque do time, ele despertou o interesse do Licartovce, da Eslováquia e, aos 21 anos, através de um empréstimo, jogou uma temporada no clube europeu e, longe do calor carioca, fez do seu sonho combustível para se adaptar no exterior.

“Neve, muito frio, mas me adaptei bem. Me destaquei e o clube pediu renovação do contrato de empréstimo”. Só que, mas uma vez, o destino seria cruel com o jogador, que voltou para o Brasil sem assinar os termos do contrato. “Eles queriam que eu renovasse, mas o Bom Sucesso pediu dinheiro. O tradutor me explicou e a negociação foi encerrada. Quando cheguei no Brasil, eles disseram que o clube lá é que tinha feito exigências. Fiquei numa depressão muito grande”, diz ele, que chegou a ganhar um salário de 12 mil dólares no clube.

A frustração resultou um período de quatro anos afastado do futebol, período esse que o jogador, para ajudar a família, chegou a reparar carros, distribuir panfletos na rua e segurar faixas em semáforos. Foi quando o ex-sogro, Adílio, campeão mundial com o Flamengo em 82, resolveu contatar um amigo que treinava o CFZ (time do Zico), de Brasília, marcando o retorno de Leonardo ao futebol profissional.

No futebol do Norte

Destaque no CFZ de Brasília, Leonardo foi indicado pelo então sogro, para o Atlético Acreano, em Rio Branco-AC. Mais uma vez, a estrela do atacante, que jogava como meia no começo da carreira (e como volante na Europa), brilhou forte. “Não sabia nem onde era o Acre”, confessa ele, que logo se destacou no clube nortista. “O time estava desde 91 sem conquistar o título e há uns cinco estaduais na lanterna. Conseguimos chegar na semifinal e fui vice-artilheiro com 11 gols”.

No ano seguinte, também não levou o título, mas repetiu a dose, chegando a excelente marca de 20 gols em 22 jogos pelo clube rio-branquense. Foi contratado pelo rival Rio Branco, mas não fez boa temporada e seu contrato não foi renovado. Mas um amistoso entre o Leão da Vila Municipal, em que conta ter feito um golaço, ele selava o destino que o levaria para o time amazonense, o time com quem ele alega mais ter se identificado na carreira.

“No Nacional realizei o sonho da minha vida, que era ser ídolo num time de tradição, com torcida. Fui campeão e artilheiro. Realizei 90% do meu sonho como jogador de futebol”, disse ele, que ainda sonha em jogar a Série A do Brasileiro.

Mas, como a vida de Leonardo foi inteira marcada por altos e baixos, não haveria de ser diferente no Nacional, onde ele diz ter vivido o pior e o melhor ano da carreira. “2014 foi o ano mais difícil da minha carreira, (tive) duas lesões no rosto...”. Sobre a fatídica confusão generalizada no final do Amazonense daquele ano, diz que não guarda rancor dos seus agressores.

“Aprendi com minha família que perdoar é de Deus, não guardo mágoa de ninguém”, diz ele, afirmando, no entanto, que o autor do golpe mais duro, o atacante Nando, do Princesa, nunca lhe procurou para pedir desculpas. “Nunca nos encontramos pessoalmente. Não sei como seria se o encontrasse e ele não pedisse desculpas. Mas não guardo rancor algum”, diz ele.
Fonte: Jornal A Crítica

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Copa Verde lançada oficialmente.

27/01/2015 18h35 - Atualizado em 27/01/2015 18h35

Com a presença de Dunga, CBF realiza o lançamento da Copa Verde

Competição chega em sua segunda edição e vai reunir equipes de onze estados do Norte e Centro-Oeste. Primeira rodada está marcada para o dia 08 de fevereiro

Por Rio de Janeiro

Com a presença de Dunga, treinador da seleção brasileira, a CBF lançou nesta quinta-feira a Copa Verde 2015 que irá reunir clubes de 11 federações: Pará, Mato Grosso, Distrito Federal, Amazonas, Acre, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Tocantins, Amapá, Rondônia e Roraima. Criada no ano passado para integrar estados periféricos no futebol brasileiro, a competição tem um atrativo interessante aos clubes por valer vaga na Copa Sul-Americana ao campeão.
Dunga e Gilmar Rinaldi no lançamento da Copa Verde (Foto: CBF)O treinador Dunga e o coordenador da seleção, Gilmar Rinaldi, acompanharam o evento (Foto: CBF)

Dunga elogiou o torneio e lembrou que vários ídolos surgiram nesses estados como o meia Kaká (Gama-DF), o zagueiro Lúcio (Planaltina-DF), o volante Lucas Leiva (Dourados-MS), o meia Paulo Henrique Ganso (Tuna Luso-PA), entre outros.
O campeão da primeira edição foi o Brasília, que quase teve o título cancelado por ter supostamente atuado com quatro jogadores irregulares na final contra o Paysandu. O clube paraense, inclusive, ainda tenta recorrer da decisão
A Copa Verde começa dia 8 de fevereiro com oito jogos: Independente-PA x Brasília-DF; Tocantinópolis-TO x Luverdense-MT; Vilhena-RO x Nacional-AM; Cene-MS x Cuiabá-MT; Estrela do Norte-ES x Luziânia-DF; São Raimundo-RR x Princesa do Solimões-AM; e Remo-PA x Rio Branco-AC; e Santos-AP x Paysandu-PA.

Treino em campo reduzido.

Foto. Águia de aço.
Hoje, mais uma vez Sinomar Naves realizou um treinamento em campo reduzido, fez movimentação com rapidez, com exceção de Raílson e Tiago Amazonense, lesionados, o restante da equipe treinou e fez o que foi determinado pelo treinador.

Inclusive Leonardo voltou aos treinos e treinou muito bem, fez até gol. Bom sinal, mostra que está recuperado e dá maior tranquilidade aos companheiros e ao treinador.

Foto. Águia de aço.
Na nossa opinião, se não tem nenhum time querendo treinar com o Mais Querido, o jeito é apelar para os amadores, tudo serve, para ajudar na formação do conjunto e entrosamento da equipe, é a única alternativa, do contrário, é treinar coletivo com o time reserva, afinal, é um  bom time e com certeza vai oferecer dificuldade para os titulares. Estarão sempre sendo testados.

Na parte final, como de costume vieram os fundamentos e nas cobranças de pênaltis, os destaques foram, Wanderley e Hyantony. 

Vamos ver no decorrer da semana se aparece algum time que não amador resolva treinar com o Nacional..
Miro.

Naça contrata volante, ex Paysandu.

Felipe Manoel teve uma passagem rápida pelo Paysandu (Foto: Paulo Akira / O Liberal)Nacional contratou o volante Felipe Manoel, indicado por Sinomar, o jogador teve passagens pelo Santa Cruz do Pará em 2013 e pelo Paysandu em2012. Vejam a reportagem abaixo os times que ele atuou.
O Santa Cruz-PA anunciou a contratação do volante Felipe Manoel, de 23 anos, com atuações por São Bernardo, Villarreal B, Huesca e Levante, todos da Espanha, Sport-PE, Caxias e por último estava no Santa Cruz-RS. O jogador, que teve uma passagem rápida pelo Paysandu em 2012, tem chegada prevista no clube de Salinópolis-PA na madrugada de terça-feira, visando iniciar os treinos para o Segundo Turno do Campeonato Paraense 2013. 

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Naça treina tático, procura lateral e volante.

Na manhã chuvosa desta segunda-feira, o Nacional treinou na academia do Clube e a tarde fez um tático no campo de número 2, foi um reduzido que durou cerca de 50 minutos, incluindo a parte de fundamentos.

Amanhã haverá treino pela manhã e a tarde, a cada dia que passa Sinomar vai definindo a equipe, lembrando que João Rodrigo continua na lateral direita e Bruno Potiguar de volante.


Com o decorrer dos treinamentos os dois vão acabar sendo titulares, uma pena pois gostaríamos de ver o time com Denis e Peter, ambos dão melhor dinâmica de jogo, o time fica mais compacto, até porque a qualidade técnica deles é melhor.

Sinomar ainda busca um lateral esquerdo e um volante, com isso as chances de Denis ficam ainda menores, mas, ele é o treinador e sabe o que está fazendo. Nós aqui da águia confiamos em nosso treinador.

Amistosos.

Continuam as negociações com dois clubes para que aceitem fazer 2 amistosos contra o Mais Querido. Vamos ver se na quarta e no sábado, ficamos na torcida.
Miro.

Comentários da torcida.

Bruno. Acho que Denis deveria jogar, tem que ser ele e Lídio, já estão entrosados. 

Carlos Nascimento. Tem que ser Denis e Lídio e não Lídio e Denis, sempre foi assim. Esse treinador ta querendo inventar.

Jonas. Isso não vai dar certo, torço pra que dê, vamos continuar torcendo, afinal o homem foi campeão quando tudo parecia impossível. 

Torcida gostou do que viu.

O amigo Jéferson, só alegria com a vitória. Quem é vivo sempre aparece.
Após o belo jogo-treino de ontem, onde o Mais Querido passeou em cima do frágil Operário, a torcido passou o domingo curtindo a vitória.

Jéferson, ai na foto que o diga, nós após anos de ausência, nós aqui da águia não sabemos o porque de tanto tempo longe...Rsrsrs.

Bem, mas, deixemos isso de lado e vamos continuar falando um pouco mais sobre o Naça.

Ai, mais 3 amigos, com o sorriso estampado com a vitória.
Após as saídas de Jeff Silva e Evandro,(os dois pediram pra sair) a diretoria do já está a procura dos dois que irão substituí-los, sabe-se que serão dois no mesmo nível ou até melhor, é o óbvio, não pode ser diferente, até porque, serão para as quatro competições, o encarregado das escolhas será nosso treinador Sinomar Naves.
até mais...

sábado, 24 de janeiro de 2015

Naça passeia no C.T Barbosa Filho.

A torcida, pequena, mesmo com a chuva, marcou presença,  
Jogando amistosamente nesta tarde no C.T Barbosa Filho, o Nacional não tomou conhecimento do Fraco time do Operário, é certo que estão em preparação e isso pesou muito ao time adversário, pecou pela falta de entrosamento.

O Mais Querido, como não tem nada com isso, fez o seu papel e goleou por 8x1, jogando em ritmo de treino realmente. 

O domínio foi total e o time passeou em campo, Sinomar pos o time pra frente e os gols foram saindo naturalmente, Hyantony 3, Fininho 2, Tiago Marin 1, Mauricio Leal 1 e Wanderley.
O jogo apesar de fácil para o Naça, serviu para movimentar o time, serviu também para vermos surgirem os futuros artilheiros do time, como Hyantony com 3 gols e Fininho com 2. O Operário fez seu gol de honra de pênalti. 

Sinomar mandou a campo. Rodrigo Ramos/Wagner, João Rodrigo/Peter, Mauricio Leal, Robinho e Andrezinho, Lídio, Bruno Potiguar/Denis, Tiago Marin, Fininho, Hyantony e Wanderley.


Os destaques da partida foram, Fininho, (sofreu 2 pênaltis em jogadas individuais) Hyantony, (marcou 3 vezes) Tiago Marin e o craque do jogo, Lídio, fez de tudo, armou, desarmou, fez lançamentos.

Só faltam duas coisas para o time decolar de vez, Denis e Peter no time e treinar bastante coletivos, posicionamentos do time etc.
Miro.

Notas da equipe da águia.
Nacional.
Rodrigo Ramos, 6,5 não foi exigido pelo adversário. 
João Rodrigo, 6 apoiou pouco o ataque e não cruzou bem as bolas.
Peter 8, entrou em seu lugar, deu mais velocidade e fez melhores cruzamentos, deu o passe para um gol de Hyantony.
Mauricio Leal, 8 seguro naquele setor.
Robinho, 7,5 também não teve muito trabalho.
Andrezinho, 6,5 errou alguns cruzamentos.
Lídio, 10 o craque do jogo, fez de tudo, dispensa comentários.
Bruno Potiguar, 7 andou meio perdido, depois recuperou-se.
Denis, 7 entrou no segundo tempo e deu mais dinâmica no meio.
Tiago Marin, 8 fez bons lançamentos e movimentou-se bem.
Fininho, 9 lançou e deu duas arrancadas driblando vários jogadores e sofreu 2 pênaltis, marcou 2 gols.
Hyantony, 9,5 mostrou boa presença na área e que sabe fazer gols, fez 3.
Wanderley, 8 fez um gol, mostrou habilidade, velocidade e domínio de bola.
Wagner, 6,5 entrou no lugar de Rodrigo Ramos e também não foi exigido.
Técnico. Sinomar Naves, 7.

Operário.
Não ofereceu resistência ao Nacional, pecou pela falta de entrosamento, pode melhorar até o inicio do campeonato. Sem nota.
Técnico. Carlos Tozzi, 5 por tentar fazer seu time jogar. 

Árbitro. Celso Mota Rezende, o Colorau.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Naça faz treino tático.

Apesar da chuva, o Nacional treinou hoje a tarde no C.T Barbosa Filho, o treinador azulino fez um treinamento tático, os jogadores cumpriram as determinações de Sinomar e fizeram a sua parte.

No treinamento não observamos treino de posicionamento da equipe para o jogo contra o Operário de Manacapuru, talvez porque o time vem treinando todos os dias e os coletivos realizados devem ajudar nesse item.

No final, a parte de fundamentos, com os cruzamentos, chutes a gol, pênaltis etc.   

Lembrando que os carros ficarão do lado de fora e a torcida terá acesso ao C.T pelo portão pequeno. O portão que fica pelo lado do posto de gasolina será fechado.
Miro.

Comentários da torcida.

Zudimar do Nascimento. Em 19/01/2015.
Amigos, como alguns torcedores do Nacional não tem paciência, domingo na colina já vi alguns indignados por causa de um jogo treino, estes jogadores que estão ai, tem muita qualidade e vão render bons frutos, é só esperar para ver, aguardem, como diz meu amigo Carlos, quem viver verá. 

Jonas. Em 23/01/2015.
O Nacional está certo em fazer amistoso, além desse de sábado contra o operário, deveria jogar contra o Obidense, outras equipes amadora, se não tem adversário, pega time do peladão e treina.

Rômulo Silva. Em 23/01/2015.
Acho que o Nacional deveria ir jogar amistoso no interior com os times de lá, tem o Careiro, Iranduba, Manacapuru, mesmo sendo contra times amadores do interior, não importa o importante é treinar e entrosar o time, é isso que conta lá na frente.

Sérgio Fonseca. Em 23/01/2015.
O problema no Nacional, é que muita gente que não entende futebol se mete e dá pitaco, isso vejo já há mais de 20 anos, tem que mudar isso, quem sabe não funciona.

Naça x Operário.

Hoje, novamente Sinomar realizou mais um treino coletivo no campo inteiro, está de parabéns, só assim ele encontrará o conjunto e o entrosamento que tanto se quer numa equipe de futebol.

Foi um treino bastante movimentado com os atletas correndo o campo inteiro atrás da bola, fazendo os lançamentos longos, o que não acontece no treino em campo reduzido, onde o cara lança há apenas 10m de distância, é muita diferença, no campo grande o cara corre 100m, no pequeno, corre 10m.

Acreditamos que assim, o time tem muito mais chances para entrosar e adquirir conjunto. É claro, aqui é o pensamento do torcedor, é logico que o treinador tem muito mais visão, sem comparação, porém, tem apenas dois olhos como o torcedor também tem, isso significa dizer, que eles também enxergam muito bem. E sabem distinguir o que é bom e o que é ruim.

Amistoso. Naça x Operário.

Sábado 24, no CT Barbosa Filho, Nacional e Operário estarão jogando amistosamente, em preparação para o campeonato amazonense. Ambas as equipes precisam jogar, adquirir conjunto e a melhor maneira de se obter êxito é assim, em atividade. Será um bom jogo, sem dúvida.

No CT estarão a disposição do torcedor, água, refrigerante, churrasco e muita gelada, basta dirigir-se a barraca da Magistral e falar com o Sidomar.
Miro.


quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Campo da escolinha em fase final de plantio.

Campo da Academia de Futebol do Naça, nos ajustes finais do gramado, as laterais já estão concluídas, como podem ver na foto.

Ao término dos trabalhos no gramado, será dado início na parte de alambrados e vestiários, agora só resta aguardar a grama enraizar e crescer até que chegue a hora do primeiro corte, dai pra frente é receber o adubo químico, regar e esperar. 
Miro.

Titulares vencem coletivo.

Debaixo de um sol forte, um lindo céu azul, raro de se ver  nos últimos tempos, o técnico nacionalino Sinomar Naves reuniu os jogadores e traçou os planos para o treino de hoje.

Começou com um tático chocho e entediante, após isso iniciou um coletivo, tornou-se menos monótono, com o passar do tempo, melhorou bastante e o time titular começou a sobressair-se e numa das várias investidas marcou o primeiro gol através de Hyantony que aproveitou uma bola cruzada na área e cutucou para as redes.


Já próximo do fim, outro ataque e Wanderley aproveitando o rebote, guardou o segundo gol, 2x0 e fatura liquidada.
Até mais...

Amistoso.

Sábado, 24 no CT Barbosa Filho, Nacional x Operário, as 16h. O time de Manacapuru vem com todos os seus titulares, será um bom teste para o mais querido testar sua força pela segunda vez em 2015.

Comentários.

Zudimar do Nascimento, em 21/01/2015.
Esta vai para os torcedores co Nacional, que são contra tudo, gente, já temos muitos inimigos, imprensa falada, escrita e TV, arbitragem, FAF, os clubes, todos os torcedores dos outros clubes, todos são contra, então, torcedores, em vez de hostilizarem o time, devem dar apoio, um detalhe, o maior inimigo é a Rádio Rio Mar, todo dia os caras metem o pau no Nacional.

Jéferson Fatin.
Valeu Dadau, o site tá cheio de patrocinadores.



terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Naça treina dois toques em campo reduzido.

Na tarde desta terça, o Nacional treinou taticamente, com Sinomar dividindo as duas metades do campo, posicionou duas equipes em cada um e começou os treinamentos.

Entre um chute e outro, ele foi posicionando as equipes e começou o treino, onde priorizou os passes e lançamentos, o objetivo? Um só, dar movimentação a equipe. Surtiu efeito, pois, correram razoavelmente nos 40 minutos de treino.

Na nossa opinião, achamos que o time carece de coletivos, eles servem para dar maior entrosamento à equipe e faz com que adquira o conjunto mais rapidamente. Sabemos que na ótica deles, (os técnicos) o coletivo não é necessário, acham que os jogadores sofrem mais lesões, achamos isso uma bobagem, pois no próprio dois toques pode acontecer, nos chutes a gol, enfim, a movimentação é uma constante e o contato também.
Na parte final, vieram os fundamentos, que são chutes a gol, pênaltis, etc.

Lateral esquerdo.

O Clube anda a procura de um, para substituir Jeff Silva que pediu para ser liberado, vai jogar no Boa Vista-RJ, sorte a ele. Está difícil encontrar, uma vez que tem muito jogador empregado, mas, vai aparecer e logo estará no CT Barbosa Filho.

Amistosos.

A diretoria continua tentando algumas equipes que queiram enfrentar o Leão da Vila Municipal, está complicado encontrar, os contatos estão sendo feito. Espera-se que apareça algum que queira encarar o Naça.
Até mais.  

Comentários.

Jonas- Concordo, acho que deve ter os coletivos sim, um time só entrosa se treinar no campo grande, o cara lança a bola a 40m, no reduzido, 10m por ai se vê logo a diferença.

Paulo- Tem que ter amistoso e coletivo, uma equipe precisa jogar, é jogando que entrosa o time.







segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Nacional continua tentando amistosos.

Após o jogo de ontem, o Nacional continua tentando conseguir jogos para para dar sequência aos treinamentos, só jogando irá adquirir o conjunto ideal, o entrosamento que toda equipe necessita para desenvolver suas atividades.

Estão tentando um jogo treino contra a equipe do Tarumã para sábado, caso venha a se concretizar, deverá as 16h no CT Barbosa Filho.


Foi feito contato com o pessoal do Princesa e este não aceitou e estamos tentando o Penarol para um jogo amistoso em Itacoatiara, caso venha a ser confirmado, a data será domingo. 


Se for realmente confirmado, preparem-se para irem a Itacoatiara.

Até mais...

Vitória da humildade.

VITÓRIA COM HUMILDADE E DETERMINAÇÃO. Por Luis Cláudio Chaves.
Estava com saudade de ver o Nacional em ação, afinal, desde o
histórico massacre de 5 x 1 no Princesa do Solimões e da conquista de
seu 42º título estadual, em maio de 2014, o Mais Querido não entrava
em campo.
 
Oito meses longe do time que a gente ama é tempo demais, culpa desse
calendário ridículo e excludente do futebol brasileiro onde uns
reclamam por jogar muito e outros reclamam por não jogar.
 
Levei minhas duas filhas, Luiza Lydia, 17 anos e Manoella Lorena, 11,
e ainda o meu caçula, Luis Daniel com quase 3. Só por isso já teria
valido a pena, mas ainda reencontrei amigos com quem compartilho a
esperança de ver o Nacional de volta a um lugar de destaque no futebol
brasileiro.
 
O jogo em si foi fraco tecnicamente como costumam ser os jogos de
pré-temporada. Mas mesmo assim queria ter ganho, perdemos. Nada
demais, o Cruzeiro, atual campeão brasileiro, também perdeu neste
domingo para uma equipe de menor expressão.
Foi um bom teste sem dúvida. Serviu pra mostrar aos jogadores a
responsabilidade e o significado de jogar no time campeão, o time a
ser batido, no time que terá todos contra si. Nossos atletas foram
jogar um amistoso e os São Raimundenses uma final de campeonato. A
comemoração colinense ao fim do jogo materializou este fato. E será
assim mesmo em todos os jogos. Lembro no ano passado a vibração do
time adversário ao conquistar um empate com o Nacional na abertura do
segundo turno, parecia terem sido campeões.
 
Gostei da movimentação do Naça durante a maior parte do primeiro
tempo, mas tomamos um gol de saída por falha de posicionamento da
defesa.
 
Deu pra perceber que temos bons jogadores, falta porém afinar o conjunto.
Não vi, por exemplo, nenhum atleta do São Raimundo que pudesse ser
titular no Nacional.E digo isso com todo respeito e reverência ao
Tricampeão do Norte.
 
Da retaguarda nacionalina gostei do goleiro Rodrigo Ramom que entrou
jogando e fez uma ótima defesa.
 
Do meio campo achei o Fininho o melhor jogador.
 
E do ataque o Leonardo apresentou boa movimentação e o outro atacante,
Hyanthony, demonstrou ter estrela, afinal, aparentava não estar bem,
mas na chance que teve fez o que se espera de um atacante, o gol.
 
E o primeiro tempo terminou com o Nacional em cima de um adversário
espremido na defesa. O gol da virada parecia uma questão de tempo.
 
Foi aí que os deuses do futebol começariam a punir a soberba.
 
O Nacional voltou a campo praticamente com outro time, manteve apenas
um jogador e com aquela ridícula e azarada camisa amarela que mais
parece uniforme dos correios....
Nunca vi um time jogar voluntariamente um clássico com o terceiro
uniforme, se é que podemos chamar isso assim, ainda mais trocar a cor
da camisa quando se está bem na partida. E estávamos bem. Não
deveríamos ter trocado o time todo no intervalo por dois motivos,
estamos a vinte dias de um jogo decisivo contra o Vilhena pela Copa
Verde, parecendo lógica a definição dos titulares para dar rodagem ao
time.
 
Vejamos o que fez o Dunga na Seleção Brasileira: foi logo escalando um
time pra vencer os amistosos. No Nacional é assim também. É preciso
vencer até treino para o Técnico e os jogadores terem tranquilidade
para trabalhar.
 
Outra coisa: óbvio o início de temporada, os jogadores ainda se
ambientando ao clima , etc, etc e etc; mas duas coisas são certas:
Danilo Rios e Léo Paraíba jogam nesse time do Nacional com os pés nas
costas. Se eu fosse o Presidente do Clube tratava já de consertar este
erro.
 
Por fim, o árbitro foi péssimo, mas errou para os dois lados.
 
No meu tempo de jogador de futebol no Boulevard a gente chamava esse
árbitro de tamburete de forró.
 
É isso.

Naça dá vexame na estreia.

Em sua primeira partida do ano, o Nacional decepcionou sua torcida perdendo para seu rival São Raimundo.

O jogo começou com um São Raimundo partindo pra cima nos minutos iniciais e logo aos 5 minutos abriu o placar através de Getúlio, a pessão inicial durou até os 20 minutos.

A partir dai o Leão acordou e passou a dominar o jogo e encurralou o adversário perdendo três chances claras de gol com Leonardo, Hyantony e Lídio num foguete de fora da área que explodiu no travessão e de acordo com nossa visão a bola bateu dentro do gol. O árbitro ignorou, até que Hyantony aproveitou passe de Tiago Marin e escorou de cabeça empatando o jogo, o domínio seguiu até o fim do primeiro tempo.
No segundo tempo, o Nacional voltou totalmente modificado, veio de amarelo e com os 11 reservas para o campo de jogo, aliás, 10, pois Andrezinho permaneceu. 

A mudança não surtiu o efeito esperado e o jogo seguiu sem graça, só tendo no péssimo árbitro, Sr. Carlos Augusto a atração do jogo, nos prejudicou o jogo inteiro, anotem o nome dele. Nem bem começam as competições e lá vem eles nos prejudicar, vai ser o campeonato inteiro. Como um juiz desse pode apitar jogos de futebol? O cara veio premeditado, é ruim demais.

Mas, se não fosse o vacilo de trocar o time todo, certamente não seríamos derrotados. O treinador do Nacional tem que saber que não podemos perder pra esse time inferior ao nosso. Se fosse melhor ou igual tudo bem, mas, não é, começou a treinar há apenas 15 dias e mostrou melhor entrosamento do que nós, eles treinam duas vezes por semana os coletivos, ao nosso ver, ajuda muito no conjunto de uma equipe, no entrosamento. Esse negócio de dizer que agora é assim, só em campo reduzido, é conversa pra boi dormir. Os grandes times fazem seus coletivos, nós da águia, acompanhamos o futebol de fora.


Mas, foi apenas um amistoso, temos time pra bater o S. Raimundo sempre, desde que seja bem escalado. No time do segundo tempo, deu pra vermos que Denis não pode ficar de fora, é Denis e Lídio e acabou.

Outro detalhe bastante criticado pela torcida, a pergunta que rolou nas arquibancadas, como o Nacional sendo o promotor do jogo, deixou o S. Raimundo ficar com 3 lances da arquibancada? inclusive atrás dos 2 gols com a torcida deles perturbando nosso goleiro o jogo inteiro. Ficamos com o pior lugar, alguém tem que saber negociar.

Um público de 2.360 pessoas e 1520 pagantes. Entraram 840 não pagante? Um número muito grande de cortezias, exagerado até. 
  
Ficha técnica do jogo.

São Raimundo 2 x 1 Nacional
Estádio da Colina
Renda: R$ 22.750,00
Público pagante: 1.520 (2.360 presentes)

São Raimundo: Julião (Leandro Naziozeno); Getúlio (Alysson), Uiton, Alex Amaro e Gilson; Fernando Júnior, Carlos da Silva, Adonias (Maykinho) e Diego (Joaldo); Jaiminho (Mata-Boi, depois Rogério Abreu) e Thomaz (Marinho). Técnico: Eduardo Clara.

Nacional: Rodrigo Ramon (Wagner); João Rodrigo (Peter), Maurício Leal (Kelvin), Robinho (Luan) e André Luiz (Juan); Lídio (Dênis), Bruno Potiguar (Railson), Fininho (Evandro) e Thiago Marin (Weverton); Leonardo (Wanderley) e Hyanthony (Thiago Verçosa). Técnico: Sinomar Naves.
   

sábado, 17 de janeiro de 2015

Torcida nacionalina quer títulos e o acesso.

A torcida do Mais Querido quer títulos em 2015, Até porque o time que foi montado não é de se jogar fora. O Nacional trouxe jogadores de boa qualidade técnica e muito superior a seus adversários, com todo o respeito a eles.

Pelos treinamentos se vê que são jogadores diferenciados e isso justifica otimismo da torcida, que diga-se de passagem, anda ansiosa pelo acesso à Série C e títulos.

Pela seriedade com que o Nacional vem conduzindo as negociações em todos os setores do Clube, a expectativa é de que realmente teremos sucesso na nova temporada. Temos que sair dessa horrível Série D.

Já que a torcida está animada e ansiosa pra ver o time jogar, o oportunidade dela provar seu amor pelo clube é comparecendo em massa a Colina para assistir o amistoso contra o S. Raimundo.
Até mais...

Naça fez um treino tático neste sábado.

Mesmo tendo um jogo contra o São Raimundo no domingo, Sinomar Naves realizou um treino em toques rápidos, (uma espécie de rachão) apenas para manter a rapaziada focada para o jogo, é amistoso? É, porém um jogo de futebol. Portanto, nada melhor do que estarem atentos durante a partida.

Para este jogo, o treinador azulino levará todos os jogadores, deverão acontecer várias substituições durante a partida e o treinador azulino pretende observar a todos.

Os ingressos serão vendidos apenas no domingo. A torcida do Nacional terá uma bilheteria exclusiva, assim como a do adversário. Tudo acertado nos mínimos detalhes para que não venha a acontecer conflitos entre as duas torcidas.
Até mais. 


sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Tático visando o amistoso de domingo.

Na tarde desta quinta, Sinomar fez uma movimentação tática, onde priorizou a velocidade e as finalizações, saíram lindos gols como o de Hyantony chutando forte no ângulo, o de Weverton, chutando a queima roupa, sem chances de defesa.

Na parte final, vieram os fundamentos. Para o jogo de domingo, está tudo pronto.

Os ingressos para o jogo, deverão chegar amanhã. Na sexta, provavelmente Sinomar deverá realizar o coletivo apronto e no sábado pela manhã uma movimentação está prevista.
Até mais...
     

Campo da Vila com grama quase no ponto.

Hoje, nosso campo está assim, quase que totalmente gramado, digamos 98%, faltando apenas pequenos ajustes.

A Construgramas garante que no final de fevereiro estará tudo concluído. Os trabalhos prosseguem com o restante da gramagem e as laterais sendo preparadas para receber e escoar a água.

Daí em diante, é trabalhar os alambrados e dotar a estrura da melhor maneira possível para receber os alunos e os pais. Provavelmente já em março estejam de volta.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Naça deverá transformar-se em empresa.

15/01/2015 12h46 - Atualizado em 15/01/2015 12h46

Em posse, presidente diz que objetivo é transformar o Nacional em empresa

Mário Cortez assume oficialmente o cargo nesta terça-feira, na sede social do clube, na Zona Centro Sul de Manaus

Por Manaus

A diretoria do Nacional mantém firme a intenção de elevar o time á primeira divisão até 2024. E a sequência deste intento se deu nesta terça-feira, na sede social do Leão da Vila Municipal, na Zona Centro-Sul de Manaus. Durante a tomada de posse, o mandatário salientou que entre as métricas do time estão a de transformar o Naça em uma empresa.
Mário Cortez (Foto: Adeilson Albuquerque/GLOBOESPORTE.COM)Mário Cortez e Maneca reiteraram o projeto 'Série A 2024" (Foto: Adeilson Albuquerque)
- O Nacional não é apenas um time de futebol. Queremos transformá-lo em uma empresa, agir como uma empresa. Hoje somos um dos poucos clubes no país que paga os colaboradores, religiosamente, no dia 30 de cada mês. Não possuímos dívida com a Previdência Social. Claro, se possuímos R$ 10 mil não podemos gastar R$ 20 mil. Isso se chama planejamento e organização. É preciso agir consciente de que o Nacional é uma empresa, que tem seus compromissos financeiros e, isso, é essencial para alcançarmos nossos objetivos - ilustrou. 
Eleito para o segundo mandato, o dirigente enfatizou que os trabalhos a serem executados até 2017 serão baseados nas finalidades do Nacional como o projeto “Série A 2024”.
- Em 2013, a diretoria deu início ao trabalho. Alcançamos alguns objetivos e iniciamos outros. Por isso, esse mandato será para dar continuidade aos nossos projetos, visando as principais metas, como, no caso, o “Série A 2024" - disse ao site oficial do clube.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Copa da Amazônia.

Copa Amazônia é 'garantida' por Assoc. de Clubes e FAF.

00Google +0
14.01.2015 - 23:31 - Amazonas.
Quando foi anunciado o surgimento da Associação de Clubes Profissionais do Amazonas, o grupo não demorou a manifestar que o intuito era o de contribuir com a melhoria e o progresso do futebol baré, em todos os aspectos. Desde o inicio, uma das principais preocupações dos dirigentes foi a escassez do atual calendário local, e a mais nova proposta visa justamente mudar essa realidade já no segundo semestre da temporada 2015.

Com 15 agremiações oficialmente filiadas a Federação Amazonense de Futebol (FAF), apenas duas disputam mais de uma competição no ano: o Nacional (Amazonense, Copa Verde, Copa do Brasil e Série D) e o Princesa do Solimões (Amazonense, Copa Verde e Copa do Brasil). E o objetivo da Associação é o de propiciar um torneio envolvendo todas as equipes vinculadas a FAF: a Copa Amazônia.

O presidente da Associação dos Clubes do Amazonas e vice-presidente do Fast Clube, Cláudio Nobre, confirmou que as conversas já estão adiantadas com a FAF, que inclusive incluiu o nome da competição no artigo 61, parágrafo único, do regulamento do Campeonato Amazonense 2015.

- Vai ser um torneio bastante movimentado, e um dos motivos para o nosso futebol não crescer é isso (falta de calendário para todos os clubes). A gente espera que em 2015 a gente consiga mudar isso, com, pelo menos, dois terços do calendário preenchidos com o futebol local - declarou Nobre, em entrevista a TV Amazonas.

O dirigente reforçou que considera de suma importância o apoio e respaldo do Governo do Estado. Em dezembro do ano passado, o governador José Melo afirmou que ''só coloca dinheiro no futebol amazonense se for feito com seriedade''.

- Um acordo entre as partes não será um problema, para que a gente possa realmente apresentar um projeto, uma proposta diferente de tudo o que foi feito até aqui no futebol do Amazonas, para o governador, e a gente tem certeza de que ele será sensível a nossa conduta atual e aos nossos anseios para melhorar o futebol amazonense – enfatizou.

Por fim, ele reiterou que a função da Associação é ''somar com o futebol'', deixando claro o desejo de trabalhar em parceria com a Federação Amazonense.

- Estamos aqui para somar, para engrandecer o futebol do Amazonas, e pra trazer uma união. Não adianta (criar rixas), a 'briga' tem que ser dentro de campo, entre os times, não fora! Cotas igualitárias, com direitos iguais, para que o melhor saía de dentro de campo e não fora do campo como já aconteceu no futebol amazonense. É isso o que a gente quer, com a união trazer e fazer um futebol melhor para o Amazonas – encerrou.

Confira o trecho do artigo do Campeonato Amazonense, que cita a Copa Amazônia 2015:

''A I Copa Amazonas 2015, acontecerá no 2º semestre de 2015 e ainda será regulamentada e será a Fase PRELIMINAR do Campeonato Amazonense de Futebol Profissional de 2016, onde as 2 (duas) melhores entidades classificadas, levando-se em conta apenas as 5 (cinco) acima citadas e mais as 2 (duas) que forem 9ª e 10ª colocadas do Campeonato de 2015, passarão à FASE PRINCIPAL das disputas do Campeonato Amazonense de Futebol de 2016, juntamente com as outras 8 (oito) entidades, melhores classificadas do Campeonato de 2015.''
Fonte: Globoesporte.com.

Será muito bom para manter os clubes em atividade e serve até como preparação para o campeonato amazonense 2016.
Até mais...
 

Naça faz coletivo no C.T Barbosa Filho.

Hoje à tarde no C.T Barbosa Filho, Sinomar resolveu fazer um coletivo, onde treinou posicionamento e algumas jogadas jogadas ensaiadas.

O time de verde, considerado titular formou com. Rodrigo Ramos, João Rodrigo, Mauricio Leal, Robinho e Jeff Silva, Lídio, Bruno Potiguar, Fininho, Tiago Marin, Hyantony e Leonardo/Tiago Verçosa.

Peter cobra o escanteio.
Já o time considerado reserva formou com. Wagner/Tiago, Peter, Luan, Kelvin e Andrezinho, Denis, Jon Jones, Evandro, Railson/Tiago Amazonense,Tiago Verçosa/Leonardo e Weverton.
Sinomar já pensa no amistoso contra o São Raimundo no domingo. (18) O jogo serve como preparação para as duas equipes que irão disputar o campeonato amazonense.

A Partida terá início as 16h e o local, será o estádio da Colina, os ingressos custarão 20.00 a inteira e 10 reais a meia.

Pelo que pudemos observar, a torcida está super ansiosa para ver o Mais Querido em ação em 2015.

É isso aí gente, vamos prestigiar o nosso Naça.
Até mais...

Nacional empossa seu presidente.

Pois é, amigos.

Na noite do dia 13 de janeiro de 2015, o Presidente Mário Taveira Cortez, foi empossado para os próximos 2 anos, de 2015 a 2017.

Após breve discurso, ele empossou sua diretoria. E dando prosseguimento à solenidade, fez um relato do que foi feito em sua gestão passada.

O bom de tudo é que o Clube está no azul e com um belo time montado, com grandes chances de várias conquistas em 2015.

Foto. Adalberto Monteiro.
Falou também do campo da Vila Municipal, o qual está em fase final de gramagem, faltando apenas as laterais, está com 95% gramado. O objetivo é formar a maior escolinha de futebol do Norte. É o Nacional caminhando a passos largos para o sucesso.
Até mais...

Campeonatos da base em fase de estudos.

14/01/2015 18h44 - Atualizado em 14/01/2015 18h44

Presidente da FAF reúne com 'a base' do AM para definir calendário de 2015

Dissica Valério recebe nesta terça, representantes de times que devem compor os Estaduais de junior, juvenil e infantil. Ao todo, 18 times devem estar nas disputas

Por Manaus

A exemplo do que aconteceu com o profissional, o presidente da Federação Amazonense de Futebol (FAF), Dissica Valério Tomaz,  reuniu com os representantes da base com a finalidade de delinear o cronograma da categoria para 2015. O encontro se deu na tarde desta terça-feira, na sede da entidade máxima do futebol baré, a FAF, no Centro de Manaus. Pela conclusão, 18 times devem disputar os Estaduais de junior, juvenil e infantil.
Reunião na FAF  (Foto: Antônio Assis)Reunião com Dissica foi nesta terça, na sede da FAF (Foto: Antônio Assis)
A priori, já ficou definido que o Amazonense de Juniores será disputado de março à julho e o Juvenil e o Infantil de julho à dezembro deste ano, com os seguintes clubes: Nacional, Rio Negro, São Raimundo, Fast, Penarol, Operário, Princesa, Nacional Borbense, Iranduba, Manaus FC, Holanda, Tarumã, Cliper, Sul América, ASA, Libermorro e Manaus EC. Entretanto, os últimos detalhes sobre o número de participantes e o regulamento do torneio serão afinados na terça-feira, dia 20 de janeiro. O desfecho deverá acontecer até o dia 24.
Ao término da assembleia, o treinador do Sul América, Marcelo Galvão, festejou o diálogo que, segundo ele, é histórico para a categoria de base do Amazonas.
- Deve ter de 17 à 18 clubes nas disputas. O melhor de tudo já foi realizado, que foi esta reunião. Pela primeira vez, nesta década, que eu lembre, o Dissica planejou e comandou uma reunião deste porte para a base do futebol amazonense. E isso é super positivo - completou Galvão.